Como funciona a cronometragem

Como funciona a cronometragem

Nos dias de hoje fica difícil imaginar uma corrida de rua sem a presença dos chips de cronometragem. É através deles que os corredores, tanto de elite quanto amadores, têm suas marcas nas provas registradas pela organização e assim têm conhecimento de quanto tempo levaram para concluir o percurso.

A tecnologia atual de chip, utilizada pelos organizadores dos eventos, só chegou no Brasil em meados dos anos 90, e revolucionou as corridas de rua, que a cada ano que passa recebem mais atletas.

Como funciona

Quando o atleta se inscreve para uma prova, recebe as informações sobre a entrega de seu chip. Normalmente ela acontece na véspera do evento, para que possa pegar o dispositivo e prendê-lo no seu tênis no dia do evento.
Cada chip possui um número de registro único, que é acionado quando o atleta passa pelo posto de controle de corrida, que é onde ficam os tapetes de leitura. Quando o corredor pisa no tapete com seu chip no tênis, imediatamente os computadores da prova recebem as informações do atleta, que foram previamente cadastradas.

O chip é individual e único, e a cada corrida o atleta inscrito recebe o seu que pode ser descartável ou não, devendo devolvê-lo à organização assim que cruzar a linha de chegada.

Para colocá-lo em seu calçado é simples. Tire duas fileiras do cadarço de cada lado do seu tênis e passe-o nas brechas do chip. Depois, coloque o cadarço de volta nos buracos. Se você optar por colocar o chip no laço, é provável que a amarração não fique tão firme. Mas Denis Baptista da Crono Sport que atua na cronometragem eletrônica de eventos esportivos que exigem precisão, segurança e agilidade na geração de resultados dos atletas ressalta a importância de sempre ler as instruções de utilização, pois o modelo pode variar de acordo com a prova.

Tempo líquido ou bruto?

Se você já participou de alguma corrida que dispunha da tecnologia dos chips já deve ter visto, quando foi procurar seu tempo final no site da organização, dois tempos diferentes, que algumas vezes diferem também do tempo que você marcou no seu relógio. Esses são os tempos “líquido” e “bruto”. Entenda a diferença entre eles.

Tempo bruto: marca com quanto tempo de prova o atleta completou o percurso, ou seja, desde a hora que soa a sirene de largada, esse tempo já está valendo. Como, geralmente, os corredores amadores demoram alguns segundos, ou até minutos, para passar pela largada, esse não é o seu tempo real.

Tempo líquido: esse é o cronometrado pelo chip, desde o momento que o corredor passa pelo tapete localizado na largada, até o momento que cruza a linha de chegada. É exatamente o tempo que o atleta levou para completar o percurso. Se esse número não bate com o do seu relógio, provavelmente você disparou o seu cronômetro com atraso ou adiantado, pois o chip é a forma mais precisa de marcar o tempo de um corredor.

Quer saber mais sobre cronometragem?
Fale com a Crono Sport Denis César Baptista
11 94729-9748 denisironman@hotmail.com

82bf762e-f9e4-464f-a476-7eff73f4d34c

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *